Header Ads

Giro de Notícias

Protesto de ambulantes tem confusão e fumaça tóxica de pneus

Ambulantes
 (Foto: Imagem compartilhada no WhatsApp)
Um grupo de vendedores ambulantes fez protesto e interditou o trânsito no cruzamento das Avenidas Guedes Pereira e General Osório, na área central de João Pessoa, no começo da tarde desta sexta-feira (16). O protesto ocorre porque esses ambulantes não podem trabalhar em calçadas e sofreram intervenção de agentes da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedurb). A situação foi resolvida e o cruzamento liberado por volta das 13h30.
Os manifestantes colocaram fogo em pneus, o que provocou uma grande fumaça tóxica na área do protesto e prejudicou lojistas, passageiros de ônibus e motoristas que ficaram presos na interdição.
Houve tumulto e a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros foram chamados para conter a confusão. Até as 12h40, a categoria reclamava que não tinha sido procurada por nenhum representante da Prefeitura de João Pessoa.

Ambulantes não podem ocupar calçadas

A Sedurb informou que recebeu a denúncia de que nove comerciantes estariam vendendo frutas e verduras de maneira irregular no Ponto de Cem Réis, área central de João Pessoa. “Como já foi dito anteriormente, isso não é permitido, até por uma questão sanitária. Recebemos a denúncia, foi realizada uma vistoria e realizamos a apreensão”, disse a Sedurb.
Segundo a Sedurb, os ambulantes teriam reagido à ação dos agentes com pedradas, o que acabou deixando uma pessoa ferida. Ambulantes acusam os agentes de agirem com truculência.
Em outros protestos do mesmo tipo, a Prefeitura de João Pessoa sempre reitera que a intenção é manter as calçadas livres e que as fiscalizações são constantes para evitar obstrução das áreas de passeio, conforme Código de Postura do Município. O Código tem 49 páginas e estabelece várias regras para a situação das calçadas da Capital. Veja aqui.

Queimar pneus é crime

Queimar pneus é considerado crime ambiental. Conforme o Artigo 54 da Lei de Crimes Ambientais (Lei 9605/98), a pena pode ser multa ou reclusão de até cinco anos, dependendo do tipo de dano provocado.
Segundo o Ministério do Meio Ambiente, a queima representa risco à saúde pública porque libera produtos químicos tóxicos e metais pesados capazes de produzir efeitos adversos à saúde.
A queima do pneu emite ainda fumaça tóxica e pode representar riscos de mortalidade prematura, deterioração das funções pulmonares, problemas do coração e depressão do sistema nervoso e central. A céu aberto, ela é 13 mil vezes mais mutagênica que a queima de carvão em instalações bem desenhadas e operadas apropriadamente.
Fonte: Portal Correio

Nenhum comentário