Header Ads

Giro de Notícias

"BLACK FRIDAY" Paraíba terá plantão para coibir abusos

Órgãos de defesa do consumidor farão plantão nesta sexta-feira (22) para coibir abusos no comércio na Black Friday. A superintendente do Procon da Paraíba, Késsia Liliana, orienta os consumidores a guardaram panfletos com ofertas divulgadas antes da promoção de amanhã.
A equipe passará toda a sexta fiscalizando o comércio, supermercados e magazines. “Se houver algum produto que seja divulgado um percentual de desconto, mas que não condiz com a verdade, o consumidor pode acionar o Procon”, explicou.
Segundo ela, as redes sociais e o site do Procon podem ser utilizados para que o paraibano denuncie falsas ofertas. O órgão acompanha vários sites para verificar a veracidade dos descontos e solicitou que as empresas participantes da Black Friday apresentem preços anteriores e os que serão praticados no dia da promoção.
Em Campina Grande, o Procon vai realiza o Dia D contra abusos. A partir da meia noite, fiscais do órgão irão percorrer vários pontos da cidade e acompanhar os consumidores que fazem plantão nas lojas e shoppings esperando o início das vendas com as “super ofertas”.
A partir daí os fiscais seguem o dia todo visitando o comércio local. Enquanto isso o Procon estará com uma tenda de serviços na Praça da Bandeira, Centro, das 8h às 17h, para tirar dúvidas e receber denúncias dos consumidores.
Segundo Rivaldo Rodrigues, coordenador executivo do órgão, a expectativa é a de que a 8ª edição da Black Friday no Brasil aconteça de forma tranquila em Campina Grande. “Apesar de já termos autuado 9 lojas só nesta semana, no comércio local, esperamos que ao final da Operação o número seja inferior ao do ano passado. Na Black Friday de 2017 chegamos a autuar 47 empresas físicas e tivemos mais de 68 reclamações de empresas virtuais. A grande maioria das queixas foram relacionadas a propaganda enganosa, falta de informação de preços e descontos nos produtos, venda de produtos vencidos ou impróprios para consumo e cobrança de taxa para entrega e montagem de móveis, eletrodomésticos e equipamentos de informática. Em Campina a Lei Municipal 5.508/2014 impede as lojas de fazerem essa cobrança”, explica.
MaisPB

Nenhum comentário