Header Ads

Giro de Notícias

Polícia vai fazer retrato falado de suspeitos das ‘agulhadas’

(Foto: Chico Martins/ Correio da Paraíba)
A polícia vai fazer o retrato falado dos suspeitos de usar seringas no Parque do Povo, em Campina Grande, durante o São João. Em coletiva de imprensa durante a manhã desta quinta-feira (19), a perícia envolvida no caso disse que chegou à conclusão de que a substância encontrada não se tratava de sangue humano. O delegado responsável pelo caso, Henry Fábio, destacou na ocasião que na continuidade das investigações se fará uso de retratos falados.
“O procedimento vai ser encaminhado para a Justiça pedindo mais prazo. Vão ser intimadas novamente as poucas pessoas, em torno de seis, que conseguiram identificar os agressores, para que se faça um retrato falado desses agressores, para que a gente consiga tentar buscar também pelas câmeras de segurança”, destacou o delegado.
“A nossa visão é buscar a materialidade do crime, ou seja, que elas [vítimas] relataram que foram realmente perfuradas ou foram feriadas por agulha e tentem identificar a autoria; a grande maioria delas não conseguiu determinar que foram feridas por agulha, embora tenham dito que, ao chegar ao Trauma, em determinado momento relataram isso,” enfatizou ele.
O caso que ficou conhecido como ‘agulhadas’ durante o período junino ainda está sob investigação da polícia e do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), que foi acionado para auxiliar a apuração.
Em junho, quando as seringas foram apreendidas nos arredores do Parque Povo, foi feito um laudo preliminar no Hospital de Trauma da cidade, em seguida no Instituto de Polícia Cientifica. De lá os objetos foram encaminhados para análise no Núcleo de Laboratório Forense de Campina Grande e em João Pessoa, onde todos os exames realizados deram negativo para sangue humano.
“Junto aos dois peritos, pergunto que material era aquele; inicialmente o que a gente verifica é que está descartado para sangue, então o material não era sangue, foram seringas que foram colocadas no Parque do Povo, eu acredito que para se aproveitar desse momento de pânico que se estabeleceu e buscar tumultuar mais a relação”, finalizou Henry Fábio.
Fonte: Portal Correio

Nenhum comentário